maio 21, 2019

100 anos de Bauhaus – Da década de 20 para o século XXI

100 anos de Bauhaus – Da década de 20 para o século XXI

A Bauhaus foi uma importante escola de design, artes plásticas e arquitetura criada em 1919 na cidade alemã de Weimar que funcionou durante 14 anos. Ela foi fundada logo após a primeira guerra mundial, até ser fechada pelo governo nazista em 1933. A escola nasceu da fusão da Academia de Belas artes com a Escola de Artes aplicadas de Weimar e rapidamente destacou-se por promover a interdisciplinaridade em sua grade curricular.

A ideia de seus fundadores era criar uma nova escola, pautada no pensamento para a vida cotidiana. A escola reunia artistas, artesãos, pintores, arquitetos e, por sua característica interdisciplinar, antecipou diversas tendências que são vigentes até hoje. Muitas processos criados dentro da Bauhaus na época nunca tinham sido experimentadas antes.

A Bauhaus, em sua concepção original, é definida como mais que um estilo, se aproximando mais de uma ação educativa motivada por mudar a vida cotidiana do maior número de pessoas.

Apesar do curto período em atividade, a escola alemã deixou um legado que influencia diversas áreas do design, arquitetura e artes plásticas. Os conceitos propostos no início do século XX ainda são utilizados hoje.

“A forma segue a função”

Louis Sullivan

3 fases da Bauhaus, 3 cidades diferentes.

Fase 1: Weimer – Onde artesãos e artistas se encontraram

Primeiro prédio da Bauhaus em Weimar

O primeiro prédio da Bauhaus foi construído na cidade de Weimar, região central da alemanha. Com o fim da primeira guerra mundial, seu fundador, o arquiteto Walter Gropius, aderiu às ideias de intelectuais da época que queriam entrar em uma nova era de mudanças. Assim, surgiu uma metodologia que agregava o processo artístico e prático inseridos no contexto da produção industrial em massa.

Fase 2: Dessau –  Onde a forma segue o pensamento

Prédio da Bauhaus em Dessau

O segundo, e mais conhecido prédio da Bauhaus, foi construído em 1925 na cidade de Dessau. Influenciado por divergências com o direcionamento da escola e a influência de ideias marxistas, o arquiteto suíço Hannes Meyer torna-se o novo diretor da Bauhaus em 1928, seguindo no cargo até 1930.


Com grandes janelas de vidro, onde era possível ver o projeto arquitetônico na parte de dentro do prédio, o prédio seguia a máxima “A forma segue o pensamento”  uma arquitetura ainda incomum para a época.

Fase 3: Artes, artesanato e tecnologia. A Bauhaus chega a Berlim

Prédio da Bauhaus em Berlim

Fugindo da ameaça nazista por conta das ideias Marxistas de seu atual diretor, a Bauhaus transfere-se para Berlim, agora como uma instituição privada funcionando sob o comando do arquiteto alemão Ludwig Mies van der Rohe a partir de 1932. O prédio só funcionou até 1933, quando as atividades foram definitivamente encerradas pelo governo nazista.

Influência da Bauhaus no design de móveis, design gráfico e arquitetura

Ao contrário do movimento imediatamente anterior, Arts and Crafts, que se propunha como alternativa à mecanização e à produção em massa, a Bauhaus preza pelo minimalismo e funcionalidade das formas. É de uma das pessoas mais importantes do movimento, Mies Van der Rohe a famosa frase “menos é mais”, por exemplo.

Muitos objetos criados na época, influenciam o design de móveis de hoje. Um ótimo exemplo é a loja de móveis sueca IKEA que tem forte influência das teorias da Bauhaus. São móveis bonitos, funcionais e fáceis de montar.

Cadeira Barcelona, 1929 – Por Mies van der Rohe and Lilly Reich

Mesas aninhadas – Josef Albers, 1926

Infusor de Chá – Marianne Brandt

Egg Chair – Arne Jacobsen

Arquitetura

Cidade Branca em Tel Aviv

A arquitetura moderna deve muito aos estudos da Bauhaus. As formas simplificadas dos desenhos arquitetônicos e os espaços pensados com função social, fortemente integrados com o urbanismo.

As linhas retas, simples e formas geométricas; Fachadas com predominância de janelas de vidro e arquitetura reproduzível, ou seja, que podem ser replicadas em diversos prédios são as principais características da arquitetura da Bauhaus.

A cidade que mais tem prédios com as características Bauhaus  é Tel Aviv, em Israel. Isto porque muito professores judeus tiveram que sair da Alemanha e se refugiar no país do oriente médio por conta da perseguição nazista.

Influência da Bauhaus no design gráfico

Além da arquitetura e do design de objetos, os conceitos da Bauhaus influenciaram fortemente o design. Muitas das teorias propostas por seus professores entre as décadas de 20 e 30, são aplicadas ainda hoje.

Cores complementares

O professor Johannes Itten, um dos mais importantes membros da Bauhaus, criou o círculo de 12 cores que explica como misturar a matizes e tons.

Ele também foi pioneiro a ao argumentar a ideia de que as cores tem uma função social. Ele era fascinado em como as cores afetam a psicologia das pessoas.

Os gênios da geometria

Os alunos da Bauhaus eram instigados a olhar para a realidade da mesma forma que os cubistas como Braque e Picasso faziam. Isso acontecia através da desconstrução de objetos até a sua forma mais geométrica mais básica,  eles acreditavam que havia eficiência e perfeição na geometria.

Este exercício  está diretamente ligado ao flat design e à eficiência que ele oferece ao se trabalhar com múltiplos dispositivos e plataformas.

A importância da tipografia

Muitos professores da Bauhaus defendiam a importância da tipografia dentro da comunicação. O designer alemão Herbert Bayer recebeu a missão de criar um tipo de letra universal com ênfase na legibilidade e acabou inventando o alfabeto universal, que influenciou Paul Renner, um  importante tipógrafo e artista alemão, a criar a fonte Futura. Simples e arrojada, que substitui as fontes ornamentadas e estilizadas.

Conexão da cor com a forma

Wassily Kandinsky, um dos professores mais importantes da escola, propôs que a cor e a forma estão intimamente conectados. Ele propôs que certas formas e cores complementam uns aos outros e comunicam uma ideia e emoção específicas quando combinadas. Você pode observar a teoria de Kandinsky na prática ao entrar em um site o botão de comprar ser verde.

Com recursos naturais limitados e  população cada vez maior, as ideias trazidas pela Bauhaus tornam-se até mais relevante hoje do que na época em que ela surgiu.

Trazer funcionalidade, durabilidade e uso de poucos materiais, sempre priorizando a funcionalidade, sem deixar de lado a beleza.

UX Design

A essência do que propunha a Bauhaus pode ser observada inclusive no conceito de  UX Design (User Experience). Simplificar e pensar na experiência do usuário dialogam muito com o que a escola buscava lá no século XX.  Um bom design de usuário torna a navegação muito mais intuitiva e simples, dispensando grandes explicações para a utilização.

Nós não podemos separar a estética da usabilidade

Tecnologia

Bauhaus inspira Vale do Silicio

“Design não é apenas aquilo que vemos e sentimos, mas também diz respeito à como as coisas funcionam”.

Esta frase foi dita por Steve Jobs e dialoga diretamente com a filosofia da Bauhaus.

O fundador da Apple quis trabalhar com um design diferente daquele que estava em em vigor na década de 80, focado principalmente na temática industrial.  Foi bebendo na fonte da escola alemã que ele encontrou a inspiração que precisava. A máxima “A forma segue a função” pode ser vista nos produtos da empresa, presente em seu design clean e sem ornamentos. Isso prova que os conceitos da Bauhaus são atemporais e que um bom design não envelhece.

Uncategorized
Share: / / /

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *